domingo, 1 de julho de 2012

Sentir.

Tumblr_m68fm0y7xu1qkf1b6o1_500_large
Não gosto do jeito como eu mesma me faço sentir. Parece que toda essa angústia que sinto é injusta, sem motivo. Tenho tudo, tudo que jamais pensei em ter. Porém, sinto como se nada fizesse sentido, pois quase nada é sentido, até mesmo o calor do toque é quase, nunca sinto-o totalmente agora.

Sinto-me fora de mim, como se a alma se esvaísse e o frio adentrasse. Tudo que parece completo quando chega até a mim é metade, me falta. Preciso sumir, não ver rostos amigos, conhecidos. Cobrir os espelhos da casa, desligar a tv e silenciar o barulho a minha volta. Sentar-me na areia da praia e olhar pro nada. Deitar-me sob a luz da lua e deixar ela deitar sobre mim. Andar descalça na terra úmida, sentir a brisa soprar meu rosto, um rosto livre de qualquer vestígio de maquiagem, de fingimento, de sorrisos forçados. Fechar os olhos e ouvir-me, meus pensamentos sem nexo, aqueles que enterrei, os que deixei pra mais tarde e nunca ouvi, os que ouço repetidas vezes, quero todos, quero a mim, quero encontrar-me outra vez,  sentir-me bem vinda no meu próprio corpo e não uma intrusa, uma maldição.

Nenhum comentário: